Publicado por: marianacarneiro | 02/02/2010

Criança merece respeito

Recebi relatos de pessoas próximas sobre problemas ocorridos no Baile do Barrinha, evento infantil promovido sábado passado pelo Shopping Barra e Bloco Happy e sobre o qual falei aqui, como indicação de programa para o fim de semana. Sinto-me no dever de dar voz a estas pessoas, até como forma de contribuir na organização das próximas edições do evento, que já é realizado há nove anos.

Às queixas:

* O baile infantil foi mal dimensionado se confrontarmos a estrutura oferecida com a quantidade de pessoas (1 mil crianças, além de pais e acompanhantes, segundo a organização do evento). Mesas e brinquedos foram insuficientes para atender quem foi. E apenas dois caixas  vendiam fichas para alimentos e brinquedos – dá para imaginar o tamanho das filas?

*Quem chegou cedo sofreu com a repetição exaustiva de poucas músicas antes do início do show. Ao que parece não houve preocupação com as boas-vindas da galerinha e seus pais, que também não eram orientados sobre o funcionamento do espaço e localização das coisas. Para completar, um problema comum às festas e eventos infantis na Bahia: som altíssimo.  Além de não serem em sua maioria surdas, crianças têm os tímpanos sensíveis! Essa, aliás, é uma briga constante minha em todo lugar que vou. Uma vez quase saí no tapa com uma funcionária de buffet infantil que se recusava a abaixar a música, mesmo vendo a meninada com as mãos nos ouvidos.

* Começa o show de Verusca Mônaco e… cadê as músicas infantis? Tudo bem que era baile de carnaval, mas incluir apenas duas músicas infantis no repertório é um pouco demais. Claro que Rebolations e quetais não faltaram.

* Banheiros químicos (todos eles eram) não combinam com crianças. Muito menos com aquelas de colo, que ainda usam fraldas. Custava incluir na estrutura do evento ao menos um trocador?

»»»»» Você foi ao baile do sábado no Bahiano de Tênis? Que tal deixar seu relato? Queremos ouvir outras opiniões!


Responses

  1. Meus filhos têm 7 e 3 anos e, apesar das filas, aproveitaram muito os brinquedos. É verdade que não se interessaram pelo show, mas fizeram pintura de rosto e de cabelo no stand do salão Pop e entraram no clima da festa. Ficaram lindos! Achei que o novo espaço da festa é bem melhor do que o antigo que usava a sede do clube. Aprovo a idéia de pensarem em melhores instalações sanitárias.

  2. Oi Mariana,

    Adorei suas considerações. Estou na expecatativa da divulação de outros bailes de carnaval para levar a galerinha.

    bjs

    Renata Matos

  3. Olá Mariana,
    Fui ao baile com o meu filho de 3 anos e achei bom. Infelizmente são poucas as opções de bailes infantis na cidade o que nos faz ficar sem escolhas. Concordo com todas as considerações citadas pelos pelos pais, realmente a banda quase não cantou músicas infantis e as filas para os brinquedos eram enormes, sem contar que crianças grandes entravam com crianças pequenas para brincar no mesmo horário. O meu filho por exemplo, no único brinquedo que compramos justamente por medo dele se acidentar, foi machucado por outra criança bem maior que ele, sendo retirado do brinquedo em menos de 2 minutos.
    Achei também que o espaço não estava tão livre como deveria, sinceramente não concordo com tantas mesas em um evento como esse, as crianças quase não ficam sentadas, parte do espaço foi comprometido com as mesas. Bebidas para adultos também deveriam ser proibidas, pois o baile é infantil.

  4. Pessoal, acho que fui a outro baile …. Minha familia sentou sem problemas; meus filhos de 11 anos, 7 e até o de 1 ano e 2 meses se divertiram muito. Fizeram pintura, brincaram no game e dançaram. O problema com a fila eu também enfrentei e após me queixar ví a produção tentando solucionar e me pediram desculpes o que achei bem sensato. Quanto às músicas, não me lembro de ter visto ninguem triste; muito pelo contrário, ví pais e crianças dançando muuuuuuiiito. As músicas tocadas de certo poderiam ser mescladas mas também não considero um absurdo. Acho esse título bastante exagerado. Amei a festa.

  5. Sérgio,
    acho que fui no mesmo baile que você! Sou frequentadora do baile infantil do Happy desde que minha finha tem 01 ano de idade. Este foi seu terceiro ano de baile e achei a festa muito melhor e mais bonita.

    As atrações só não viu quem não quis, pois estava tudo centralizado, assim que a gente chegava na festa. Cadeira foi o que não faltou, além das mesas providenciadas pelos produtores tinham as cadeiras da arquibancada, que por sinal ficaram vazias o tempo todo da festa.

    O som estava muito bom, e com uma platéia muito boa. Mas vocês que estão criticando a música, têm que concordar que diante de tantas opções para a galerinha mirim, seria difícil segurar a turminha toda na frente de um palco e ainda por cima durane quatro horas de festa. É querer demais das crianças! Ter outras opções é ter respeito à criança!!

    Falando de respeito… Isso é inquestionável para o pessoal da Happy Eventos, prova disso é a confinça e o sucesso que eles têm há 17 anos no mercado. Será mesmo que eles falhariam tanto depois de tanta experiência?

    Mariana, me desculpe mas como você mesma colocou, realmente você não foi à festa. Que tal ouvir outras pessoas antes de colocar uma notícia ruim sem ter testemunho pessoal?

  6. Como já comentei anteriormente o baile foi bom, mas o quê algumas pessoas esquecem é que cada individuo tem um ponto de vista, acredito que cada um está defendendo o seu baseado nas suas particularidades. Quem tem uma criança de 1 ano de idade por exemplo, com certeza não foi para frente do palco, pois o som prejudicaria. Quem chegou mais tarde ao baile, não deve ter tido a sorte de encontrar mesas e cadeiras disponiveis e também não acharam interessante sentar nas cadeiras do clube.
    Muitos pais compartilham as músicas derecionadas para adultos com os seus filhos, outros evitam por achar que ainda é prematuro. Muitos não se importaram tanto com as filas, pois com certeza os filhos são maiores e já ficam sozinhos nas filas sem incomodar os pais e sem se aborrecer pois compreendem, diferente de uma criança de 2 anos, por exemplo.
    A mãe da criança que machucou meu filho (sem querer), não deve ter queixas sobre os brinquedos que misturavam crianças com idades diferentes, pois o seu filho era maior.
    O que eu quero dizer é que o baile era o mesmo, só que não agradou a todos, pois sabemos que é dificil isso acontecer em um evento tão grande.
    O importante é termos a liberdade de expor as nossas opiniões sem ofender ninguém.

  7. O quê algumas pessoas esquecem é que cada individuo tem um ponto de vista, acredito que cada um está defendendo o seu baseado nas suas particularidades. Quem tem uma criança de 1 ano de idade por exemplo, com certeza não foi para frente do palco, pois o som prejudicaria. Quem chegou mais tarde ao baile, não deve ter tido a sorte de encontrar mesas e cadeiras disponiveis e também não acharam interessante sentar nas cadeiras do clube.
    Muitos pais compartilham as músicas derecionadas para adultos com os seus filhos, outros evitam por achar que ainda é prematuro. Muitos não se importaram tanto com as filas, pois com certeza os filhos são maiores e já ficam sozinhos nas filas sem incomodar os pais e sem se aborrecer pois compreendem, diferente de uma criança de 2 anos, por exemplo.
    A mãe da criança que machucou meu filho (sem querer), não deve ter queixas sobre os brinquedos que misturavam crianças com idades diferentes, pois o seu filho era maior.
    O que eu quero dizer é que o baile era o mesmo, só que não agradou a todos, pois sabemos que é dificil isso acontecer em um evento tão grande.
    O importante é termos a liberdade de expor as nossas opiniões sem ofender ninguém.

  8. Acho que o Sr. Amine Darzé deve ser sócio da Happy eventos, pois aqui na bahia o nível de festas infantis geralmente é muito abaixo , comparado à outros estados. Precisamos sim criticar de forma construtiva para que o nível dos eventos na nossa terrinha melhore muito e que as empresas não se acomodem como por exemplo a turma do axé que deita em berço esplendido por não querer aceitar críticas. È a nossa Bahia….

  9. Fui ao baile com minha filha de 12 anos, minha sobrinha de 08 anos e meu afilhado de 02 anos, além de minha esposa,mãe e sogra. Fomos recepcionados por palhaços e acomodados confortavelmente. Achei o baile excelente: animado, organizado e com muita estrutura!!Como toda festa tem suas falhas, mas que não tiraram o brilho do baile!!!
    Quando se trata de público infantil não temos muita opção, por isso confio no Bloco Happy, pois minha filha sai no bloco há 10 anos e participou de todos os bailes, o que mostra o respeito que a figura de tio Paulinho tem por seu público.
    Fila para brinquedos é razoavelmente natural, faz parte de qualquer folia e vendo o lado positivo, serve para que os baixinhos aprendam desde pequenos a respeitar as regras e o próximo. Também notei as filas nos caixas, mas contactado com a direção do evento foi prontamente solucionadas!

  10. Oi, Mariana!
    Fui ao baile com miha filha por indicação do seu blog. Gostamos muito. Foi uma festa montada para criança e pensando na criança, com várias opções de lazer, praça de alimentação, banda e posto médico com ambulância.
    Estou sempre visitando o Pequenópolis pois acho muito interessante seu trabalho, mas acho que dessa vez você falhou: avaliou a festa pelo olhar de terceiros. As opiniões divergem muito e podem não representar a realidade tal qual acontecida.
    bjs,
    Rosana Barros

  11. Pessoal,

    Alguns esclarecimentos sobre a polêmica em torno do post que trata do baile infantil realizado no Bahiano de Tênis:

    Quero antes de tudo deixar claro que nada tenho contra o bloco Happy e Tio Paulinho. Do contrário nem teria indicado a festa como opção de fim de semana aqui no blog, aliás o que não faltam aqui são posts positivos sobre restaurantes com espaço de Tio Paulinho e outros eventos do mesmo grupo.
    Ao mesmo tempo, fui abordada por pais com reclamações sobre o evento, queixas essas que foram checadas com outros casais que lá estiveram e que conheço pessoalmente. Eles me fizeram relatos semelhantes e não tenho razões para duvidar deles.
    Vejam que é uma exceção aqui comentar sobre o que não vi pessoalmente, e assim fiz porque vi nas reclamações uma possibilidade de abrir um debate e fazer um alerta sobre situações que acabamos achando normal, ou porque são sempre assim, ou para não chatear quem está à frente do negócio. Eu me recuso a passar a mão na cabeça de quem quer que seja – Tio Paulinho com seus 17 anos de estrada ou um novato na área – se vejo absurdos como uma festa para mil pessoas que conta com apenas dois caixas. Se isso é natural para alguns, desculpem, mas para mim não é. Eu não acho natural um pai com filho pequeno ficar com ele na fila um tempão em lugar de aproveitar o baile, e voltar para casa estressado.
    Este é um espaço democrático e aberto a todo tipo de opinião. Se quisesse malhar apenas pelo simples prazer que isso dá (o que não é o caso), não concluiria o post pedindo outros relatos, até para ter o contraditório da história. Por isso não entendi quando disseram “que tal ouvir outras pessoas antes de colocar uma notícia ruim?”. Abrir o debate aqui foi o quê? Aliás, essa é a melhor parte: cutucar vcs a sairem da inércia e brigarem pelas coisas! Fico feliz em incentivar, com a polêmica, a reflexão dos pais.
    O comentário de Hosana Campos foi perfeito: o importante é podermos falar livremente sobre as coisas, sem ofender ninguém. Respeito todos os relatos e pontos de vista colocados aqui e gostaria que também respeitassem os meus.

  12. O importante é que os nossos foliões estão com saúde e o carnaval é uma festa linda.
    Com certeza no próximo ano o Happy fará um baile mais bonito, pois as nossas criticas foram construtivas e a festa será melhor para todos, com mais músicas infantis, banheiros apropriados para crianças de todas as idades, mais caixas…

    Feliz carnaval para todos!

  13. Olá Mariana,

    Defendo que não podemos perder a capacidade de nos indignarmos com situações como essa e muito menos nos satisfazermos com tão pouco!!

    Para mim é impensável uma festa para criança com essa capacidade… talvez nem a produção estivesse esperando tamanha quantidade!!!

    O que precisamos é de mais opções, nossas crianças merecem bailes feitos e pensados para elas!!
    Que Tio Paulinho continue fazendo seu super mega espetáculo para seu público do TÁ TUDO BELEZA!!! Ele com certeza nunca vai ver minha cara por lá!!!!

    Parabens Mariana pela sua coerência e sensibilidade!!! É isso que faz seu blog continuar sendo respeitado!!!

    bjs
    Patricia

  14. Oi Mariana,
    Fui ao baile infantil do Happy pela primeira vez com os meus filhos de 2 anos e meio e minha filha de 11 meses. A escolha do espaço não foi ruim, com o calor que faz em Salvador, o ambiente estava agradável e arejado. O espaço para circulação realmente ficou comprometido pois juntando os stands brinquedos e mesas o espaço que sobrou foi poqueno.
    Havia uma boa variedade de entretenimento, muitos brinquedos para diferentes faixas etárias – bonecos representando os personagens do clube do barrinha e alguns dos personagens dos Backyardigans que encantaram meu filho.
    As filas no entanto eram indecentes, por sorte havia levado água e lanche para eles pois é muito difícil com crianças dessa idade aguardar por filas que demoravam mais de 30 minutos.
    A minha grande decepção no entanto foram as músicas, esperava músicas infantis alegres ou marchinhas de carnaval tradicionais mais a grande maioria das musicas foram as músicas tradicionais de aché, algumas inclusive com estímulos como beijar na boca e afins que achei que não combinaram com a festa.
    Essa é uma opinião pessoal no entanto e que leva em consuideração a idade dos meus filhos.
    Me desanimei muito em relação aos bailes infantis e fiquei muito reticente em encarar novos bailes.
    Um abraço Gabriela

  15. Um erro na msg anterior – meu filho e 2a e meio e minha filha de 11 meses – se tivesse mais de um filho de 2 a e meio acho que não daria conta – rsrsrs
    Gabriela

  16. nos crianças temos os direitos de vez em quando, de tomarmos nossas, propria desisao nao so porque somos ,,crianças nao temos o direto de tormar SARAH Beijos


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: